[inner]

Tenho medo de dormir. Porque dentro dos sonhos estou mais consciente e com a percepção mais aguçada. Parece loucura, confesso até um desejo de que realmente o seja, enxergar menos a realidade acordado do que dormindo. Mas é como me sinto: dormindo na realidade e acordado nos sonhos. Como se eu pudesse e devesse ser quem sou, existencialista, piegas ao ponto de ficar passando mal de tanto pensar em perguntas sem resposta. Eu gosto, é divertido, mas não sei se é saudável. O medo de dormir se realiza dentro do sonho quando estou próximo dos momentos de epifania, de simplicidade e clareza plenas, hora em que geralmente acordo e estou assustado. Não me acostumo. O tempo passa, mas em mim, paira a frustração de me perturbar com revelações que aparentam ser boas, mas que nunca terei certeza se são. Não há modelos, não há referência e também não há com quem conversar e dividir esses momentos. Eles sempre serão únicos e solitários.